Monday, 25 de January de 2021

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Empresariado cobra redução das tarifas de pedágio no Paraná

Empresariado cobra redução das tarifas de pedágio no Paraná
Photo Credit To Imagem Ilustrativa
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Um grupo formado pelas principais instituições de representação empresarial do Paraná encaminhou ofício ao governador Beto Richa solicitando a abertura de negociações com as empresas que administram as rodovias que formam o Anel de Integração. Os empresários pedem a redução das tarifas e a duplicação das estradas pedagiadas. No documento, as entidades sustentam que é possível chegar a uma solução para a questão, mesmo “se for necessário ampliar o prazo das (atuais) concessões”. “O Paraná não pode esperar mais longos anos para que seja dada uma solução aos problemas de infraestrutura viária”, anota o ofício.

“É hora da sociedade se mobilizar. Não dá para esperar pelo fim das atuais concessões para tentar baixar as tarifas. É preciso uma solução mais rápida e definitiva”, defende o presidente da Federação da Agricultura do Paraná (Faep) Ágide Meneguette.

O secretário-chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra, explica que a maior parte das rodovias que formam o Anel de Integração é federal, e os trechos estão delegados ao Estado do Paraná até 2022. Com base nos atuais contratos, qualquer mudança precisa da anuência da União.

Os empresários sustentam que o momento econômico exige a retomada das negociações com as concessionárias para ampliação do volume de obras e redução dos preços das tarifas. Para as empresas é necessário buscar novas alternativas já que o pedágio “envolve o custo no transporte da produção agrícola e de mercadorias em geral, com consequentes reflexos no comércio, indústria e serviços”.

O documento enviado para o Governo do Estado foi assinado pelos presidentes da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Ágide Meneguette; Federação do Comércio do Estado do Paraná (Fecomércio), Darci Piana; Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap), Guido Bresolin; Associação Comercial do Paraná (ACP), Antonio Miguel Espolador Neto; e Sérgio Malucelli, da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Fetranspar).

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Post source : Agência Estadual de Notícias

Related posts

Comentar: Empresariado cobra redução das tarifas de pedágio no Paraná

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp 596