Tuesday, 19 de January de 2021

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

IML pode ter unidade em outras três cidades do Norte Pioneiro

IML pode ter unidade em outras três cidades do Norte Pioneiro
Photo Credit To Antônio de Picolli
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Reunião na Amunorpi pode definir extensões em Wenceslau Braz, Ibaiti e Santo Antônio da Platina

O chefe administrativo do Instituto Médico Legal (IML) de Jacarezinho, Rafael Brito de Oliveira, pretende instalar ainda este ano, outras três unidades do órgão no Norte Pioneiro. Uma reunião agendada para o final deste mês pode definir o início dos trabalhos em Wenceslau Braz, Ibaiti e Santo Antônio da Platina.

O assunto já foi discutido com os prefeitos dos três municípios, porém, ainda é preciso definir o atendimento à população das cidades vizinhas. “Já está praticamente tudo acertado para a instalação das unidades nos três municípios. A medida irá desafogar os serviços que hoje são centralizados no órgão em Jacarezinho. No entanto, ainda é preciso definir a participação financeira das cidades vizinhas nas despesas com médico e estrutura física para o funcionamento das unidades. Outras despesas como transporte e insumos básicos, por exemplo, ficará por conta do governo estadual”, explicou o chefe administrativo.

As unidades terão autonomia para realizar exames de lesão corporal, conjunção carnal e necropsia. No entanto, os laudos serão emitidos somente pelo órgão em Jacarezinho. O custo mensal, aproximado, de cada unidade será de R$ 20 mil e poderá ser fracionado em cotas aos municípios.

Câmara fria

Desde o início deste mês, corpos sem identificação já podem ser mantidos em uma câmera fria instalada no Instituto Médico Legal (IML) de Jacarezinho. Até então, o material genético das vítimas era recolhido para exames de DNA e os corpos sepultados.

“É uma aquisição importante para a região. Agora os cadáveres poderão ser mantidos por tempo indeterminado na câmera fria até que sejam identificados. Não tínhamos alternativa a não ser o confronto genético através do material recolhido dos corpos. Em muitos casos foi necessária a exumação. É um equipamento moderno, que oferece mais condições de trabalho aos profissionais do órgão”, avaliou o chefe administrativo da unidade, Rafael Brito de Oliveira.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Post source : Luiz Guilherme Bannwart

Related posts

Comentar: IML pode ter unidade em outras três cidades do Norte Pioneiro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp 596