quarta-feira, 8 de Abril de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Juíza condena casal que agrediu homem para destruir celular com ‘nudes’ da mãe

Juíza condena casal que agrediu homem para destruir celular com ‘nudes’ da mãe
Crédito da foto Para Acesso internet celular
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

 

A juíza Letícia Bodanese Rodegheri, da Vara Única de Ipumirim, em Santa Catarina, condenou um casal que agrediu um homem para destruir celular onde estavam “nudes” da mãe da moça, evitando assim a divulgação das fotos íntimas.

Segundo a denúncia, no dia 10 de janeiro, o casal abordou o homem no centro de Lindoia do Sul, município a cerca de 480 quilômetros de Florianópolis.

Para obter o aparelho com as fotos íntimas, o réu imobilizou a vítima com uma “gravata” e lhe deu socos, causando lesões na mandíbula e olho direito e no lado esquerdo das costas.

As informações foram divulgadas pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

O réu, que aguardou julgamento preso, foi condenado a dois anos, três meses e 15 dias de reclusão em regime aberto, por porte ilegal de arma de fogo e lesões corporais.

Ele terá de se recolher em casa às 20 horas todos os dias e se apresentar mensalmente ao juízo para informar suas atividades, estando proibido de deixar Concórdia, município onde reside, por mais de oito dias ou mudar de endereço sem aviso prévio.

Após o julgamento ele foi colocado imediatamente em liberdade.

Já a mulher obteve o benefício da suspensão condicional do processo e se comprometeu a pagar dois salários mínimos – um destinado à vítima para a reparação do dano.

Ela também está proibida de se ausentar da comarca onde reside por mais de 30 dias, com a obrigação de informar eventual mudança de endereço e comparecer em juízo a cada dois meses.

A sentença foi dada 31 dias após a ação penal ser apresentada à Vara de Ipumirim.

Por Pepita Ortega

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Estadão Conteúdo

Notícias Relacionadas

Comentar: Juíza condena casal que agrediu homem para destruir celular com ‘nudes’ da mãe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596