Saturday, 26 de September de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Licitação para término da pavimentação do Álvaro de Abreu não atrai empresas

Licitação para término da pavimentação do Álvaro de Abreu não atrai empresas
Photo Credit To Bairro ainda tem 80% de obras para serem concluídas (Antônio de Picolli)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Pela segunda vez consecutiva, nenhuma empresa se interessou na licitação para concluir os trabalhos de pavimentação do Conjunto Habitacional Álvaro de Abreu, em Santo Antônio da Platina. A abertura das propostas ocorreu no dia 23. Em dezembro de 2015, a prefeitura não registrou empresas interessadas na obra.

Segundo o secretário de Planejamento de Santo Antônio da Platina, Orlando Pimentel, as empresas alegam que o valor pré-estabelecido pela Caixa Econômica Federal pela tonelada do asfalto (CBOQ), é inferior ao que se encontra atualmente no mercado, devido a alta dos preços dos produtos derivados de petróleo. “Em dezembro, a CEF estabeleceu que o máximo a ser pago pela tonelada do asfalto era R$ 179. Em março, esse valor saltou para R$ 259, e mesmo assim, as empreiteiras não aceitam o serviço. Essas empresas alegam que pagam mais do que isso na compra”, contou.

A pavimentação do Conjunto Habitacional Álvaro de Abreu faz parte de um pacote de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, que em Santo Antônio da Platina contemplou os bairros Bela Manhã, Vila Ribeiro e Álvaro de Abreu. Os dois primeiros bairros estão praticamente prontos, faltando poucos itens para serem concluídos, como parte das calçadas e sinalização vertical e horizontal.

Porém, quando chegou a vez do Álvaro de Abreu, a empresa responsável na época pelos trabalhos, a Consbrag de Curitiba, abandonou os serviços com apenas 20% concluídos. “Temos 80% da obra para ser feita, e não aparece nenhuma empreiteira interessada. Vamos relatar o problema à Caixa Econômica Federal e pedir que ela reajuste o valor da tonelada do asfalto, porque nenhuma empresa vai querer trabalhar com essa faixa de preço atual”, comentou.

Para Pimentel, o problema ainda é maior porque dos R$ 6 milhões destinados à obra dos três bairros, quase R$ 5 milhões já foram pagos. “Todo o investimento do PAC contou com a contrapartida da prefeitura, que já pagou a sua parte”, explicou.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Post source : Gladys Santoro Tribuna do Vale

Related posts

Comentar: Licitação para término da pavimentação do Álvaro de Abreu não atrai empresas

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp 596