sábado, 11 de julho de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Projeto visa garantir proteção a vítimas de violência doméstica

Projeto visa garantir proteção a vítimas de violência doméstica
Crédito da foto Para Divulgação
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Garantir proteção a vítimas de violência doméstica com acolhimento, serviço de proteção permanente e apoio legal e psicológico, além de buscar a conciliação entre as partes envolvidas. Essa é a proposta do projeto “Cidadão Classe A”, que está sendo implantado em Santo Antônio da Platina e tem como objetivo transformar a realidade de centenas de pessoas em situação de risco dentro de seus lares. 

Apoiado pela prefeitura do município e pelo Ministério Público Estadual (MPE), a iniciativa pretende atuar exatamente nas lacunas existentes no sistema, que muitas vezes acabam por desamparar ainda mais as vítimas deste tipo de violência.

“Vamos trabalhar desde o acolhimento até o atendimento permanente a vítimas de violência doméstica, com o foco em mulheres, crianças e idosos. Já realizamos um projeto piloto, estamos há praticamente 10 anos pesquisando essa área e agora temos o apoio do poder público para poder atuar de uma forma ampla para atender pessoas que estejam nesta situação”, explica o idealizador do projeto, José Altair Kiel Ribeiro.

“O atendimento permanente é justamente para proteger a vítima. Em casos onde houver dependência financeira da vítima, também vamos buscar uma forma da pessoa ter condição de não depender do agressor. Enfim, atuar mesmo para cobrir as lacunas que existem e garantir a proteção das pessoas”, acrescenta.

CONCILIAÇÃO

Apesar do foco do projeto ser a proteção às vítimas, também será oferecido apoio psicológico a agressores para que entendam a gravidade e as consequências da violência doméstica. “Em muitos casos o agressor, até o momento da agressão, não é um criminoso, mas passa a ser a partir daquele ato. Por vezes são pais de família, trabalhadores, mas por uma mentalidade que já vem distorcida acaba cometendo o crime. Então a psicologia engloba os dois lados, e vamos buscar a conciliação, senão como casal, quando o caso é de marido e mulher, mas como ser humano”, exemplifica José Altair.

E esta “mentalidade distorcida” citada pelo idealizador do Cidadão Classe A também é alvo do projeto, que fará eventos e palestras socioeducativas principalmente em escolas para que a questão possa ser trabalhada de forma preventiva.

O escritório do projeto já está praticamente pronto, no centro de Santo Antônio da Platina, e deverá começar os atendimentos na semana que vem, quando mais informações, como telefone para contato, serão divulgadas.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Tribuna do Vale

Notícias Relacionadas

Comentar: Projeto visa garantir proteção a vítimas de violência doméstica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596