terça-feira, 15 de outubro de 2019

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Mais cinco mortes por dengue são confirmadas no Paraná

Mais cinco mortes por dengue são confirmadas no Paraná
Crédito da foto Para Imagem Ilustrativa google imagens
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) divulgou na terça-feira (24) o novo informe técnico sobre a dengue. Mais cinco mortes são confirmadas pela doença no Paraná. Sendo uma em Assaí, duas em Londrina, uma em Pérola D’Oeste e uma e Francisco Beltrão. Até semana passada, eram 50 óbitos pela doença, com a atualização do boletim, desde agosto de 2015, foram 55 mortes.

Foram confirmados 2.622 novos casos da doença, 766 a menos do que na semana anterior. Conforme divulgado na semana anterior, o Paraná contabiliza 74 municípios em epidemia.

No entanto, pela primeira vez, desde o início deste período epidemiológico da dengue, iniciado em agosto de 2015, nenhum município entrou em epidemia no Estado.

“Neste período epidemiológico, é a primeira vez que o número de municípios com mais de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes se manteve. As notificações também estão reduzindo gradualmente”, explica o coordenador da Sala de Situação da Dengue, Raul Bely.

Venilton Küchler/SESA
Venilton Küchler/SESA

“Apesar do número de confirmações de novos casos estar caindo, a mobilização não pode parar. Temos que combater a dengue o ano inteiro, principalmente nas regiões endêmicas da doença”, diz a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide Oliveira.

A superintendente destaca a importância de que toda população vistorie, pelo menos uma vez por semana, o ambiente em que vive à procura de recipientes que acumulam água. “Os ovos do Aedes aegypti podem permanecer por mais de um ano à espera de água para eclodir, por isso é importante eliminar recipientes que podem se tornar criadouros do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya”.

Os casos de chikungunya passaram de 66 para 68, sendo apenas cinco autóctones, ou seja, contraídos no próprio local de residência e os outros 63 importados. Os casos de zika foram de 288 para 296, dos quais 193 são autóctones e 103 importados.

O número de gestantes infectadas pelo zika vírus também se manteve em 27. Até agora, sete delas já tiveram os bebês, em Colorado (5), Paranavaí (1) e Rancho Alegre (1). Não foram identificadas anormalidades neurológicas em nenhum deles.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Bonde com AEN

Notícias Relacionadas

Comentar: Mais cinco mortes por dengue são confirmadas no Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596