domingo, 27 de Maio de 2018

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Paraná: Mãe de estudante de Direito desaparecida relata desespero após mais um dia sem novidades

Paraná: Mãe de estudante de Direito desaparecida relata desespero após mais um dia sem novidades
Crédito da foto Para (Foto: Reprodução/Facebook)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Cleuza Tavares, mãe da estudante de Direito Andriele Gonçalves da Silva, de 22 anos, deve prestar depoimento na Delegacia do Alto Maracanã, em Colombo, durante a tarde desta segunda-feira (14). A jovem desapareceu na madrugada da última quarta (9), depois de falar com um amigo por uma chamada de vídeo.

Após mais um dia sem nenhuma notícia, Cleuza relata que continua desesperada e luta para encontrá-la bem. “Até agora eu não tenho nada. Imagine como estou, como mãe. Tenho que reunir forças, todo dia eu peço a Deus pela minha filha”, disse ela em entrevista à imprensa.

(Foto: Reprodução/Facebook)

A última mensagem que a mãe recebeu do celular da jovem foi no dia em que ela desapareceu, dizendo que iria embora para São Paulo. “Eu acho que a mensagem não foi escrita pela Andriele, porque eu conheço o jeito que ela fala. Nessa hora eu comecei a ficar preocupada, mandava áudio, mas ela não respondia, tentava ligar, mas ela não me atendia…”, relatou.

A estudante, moradora de Colombo, trabalha em uma loja de roupas durante o dia e faz faculdade em Curitiba à noite. De acordo com Cleuza, na quinta-feira (10), o patrão da jovem ligou e avisou que Andriele não tinha ido trabalhar e que também não conseguia entrar em contato com ela. “O celular dela estava online até eu fazer o Boletim de Ocorrência, mesmo sem nenhuma resposta. Depois desse momento, ele foi desligado”, completou.

Casamento em crise

Segundo a família, a jovem é casada com um soldado da Polícia Militar, mas está em processo de separação, devido a uma crise no casamento. No divórcio, ficou acordado que ele sairia do apartamento onde os dois moravam.

“Ela queria se separar, mas parece que ele não aceitava… Para mim, ela só disse que não queria mais. Já para os amigos, contou que estava passando por momentos bem complicados, até com denúncia de ameaças”.

Assim que a filha sumiu, Cleuza ligou para o marido de Andriele. Na ocasião, ele falou apenas que a estudante tinha ido embora, que chegou e ela não estava mais em casa e que teria levado apenas uma mochila preta com algumas roupas.

A última vez que ela viu o genro foi na quarta-feira. Depois disso, Cleuza não falou mais com o rapaz e também não sabe onde ele está. O Boletim de Ocorrência (B.O.) obtido pela reportagem dá conta de que ele passou mal após saber do desaparecimento da esposa e precisou ser internado em um hospital para avaliação psiquiátrica.

Investigações

Sobre o caso, a imprensa entrou em contato com a assessoria da Polícia Civil, que informou que o delegado responsável não vai se pronunciar por enquanto, para não atrapalhar as investigações.

Qualquer informação sobre o paradeiro de Andriele pode ser comunicada à polícia por meio dos telefones 190 ou (41) 3605-6550.

Desaparecimento

A estudante falava com um amigo por uma chamada de vídeo quando ouviu um barulho na casa, percebeu que a porta estava destrancada, e começou a agir de forma estranha.

Segundo o rapaz com quem a estudante conversava, cerca de 15 minutos depois, ela fez uma “cara de pânico” e a ligação caiu. Após duas horas, o amigo recebeu uma mensagem da jovem pelo WhatsApp, dizendo “ele veio aqui, mas já foi embora. Não quero mais isso, já foi longe demais. Não consigo parar de chorar. Não dá, não quero que me mande mais nada”. Não se sabe sobre quem a garota estaria falando na mensagem.

Para o amigo, no entanto, as frases não parecem ter sido escritas por Andriele, mas por outra pessoa. Ele também foi até a delegacia nesta segunda para prestar depoimento sobre o caso.

 

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Marina Sequinel e Flávia Barros

Notícias Relacionadas

Comentar: Paraná: Mãe de estudante de Direito desaparecida relata desespero após mais um dia sem novidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125