segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Promotoria pedirá internação de jovem que agrediu professora em SC

Promotoria pedirá internação de jovem que agrediu professora em SC
Crédito da foto Para (Foto: Reprodução Facebook)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

O Ministério Público pedirá à Justiça a internação do aluno de 15 anos que agrediu a professora Marcia Friggi num colégio municipal de Indaial (SC), a 170 quilômetros de Florianópolis. A promotora da Infância e da Juventude Patrícia Dagostin Tramontin declarou que a medida mais rigorosa é uma resposta à reincidência do adolescente.

O jovem já foi condenado à prestação de um mês de serviços comunitários por ter agredido um colega de sala. Houve também um caso em que o adolescente agrediu a própria mãe.

Tramontin disse que o aluno será processado por lesão corporal. Caso a Justiça acolha o pedido da Promotoria, o adolescente terá de cumprir a pena em um Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep), órgão destinado ao cumprimento de medidas socioeducativas por adolescentes infratores. A previsão é que, se condenado, ele fique até seis meses na instituição.

A promotora reclamou da lentidão para o processo chegar ao fórum. Como o adolescente não foi apreendido em flagrante, o delegado encarregado do caso marcou audiências para ouvir os envolvidos, incluindo outros alunos e funcionários da escola que possam servir de testemunhas. Tramontin disse que a delegacia da Polícia Civil prometeu notificá-la até esta sexta-feira.

Ataques na internet

A professora, que ensina língua portuguesa e literatura, está afastada de suas funções por causa da agressão. Ela terá de passar por uma perícia para ser avaliada física e psicologicamente antes de voltar para a sala de aula.

Em sua página no Facebook, a professora compartilhou mensagens de solidariedade e disse que não ficará em silêncio diante de ataques que recebeu após a repercussão do episódio. Internautas enviaram xingamentos a Friggi por alegarem que ela fez uma postagem comemorando a ovada que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) levou em Ribeirão Preto.

Para ler a matéria completa clique aqui.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: MSN com Revista Veja

Notícias Relacionadas

Comentar: Promotoria pedirá internação de jovem que agrediu professora em SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596