segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Médico que operou Schumacher nega cirurgia experimental: ‘Não faço milagres’

Médico que operou Schumacher nega cirurgia experimental: ‘Não faço milagres’
Crédito da foto Para © Getty Images Michael Schumacher durante a Race of Champions, na Tailândia, em 2012
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

O médico Philippe Menasché, que realizou um procedimento cardíaco no ex-piloto Michael Schumacher em 9 de setembro, negou nesta terça-feira que tenha feito uma “cirurgia experimental” no lendário campeão da Fórmula 1, como vinha sendo divulgado por alguns veículos de imprensa europeus.

Em entrevista ao jornal italiano La Repubblica salientou que “não faz milagres”, e garantiu que seguiu todas as normas éticas de sua profissão.

“Eu e minha equipe não fizemos nenhum experimento. Esse termo, inclusive, é abominável, e não corresponde à visão que tenho da medicina”, salientou.

Menasché explicou que realizou uma técnica de transfusão de células-tronco ao coração, mas assegurou que tudo o que fez já vem sendo testado em outros pacientes há pelo menos dois anos.

“Houve uma explosão de atenção em nosso departamento (após a notícia do tratamento de Schumacher), mas agora a situação se normalizou. Muitas pessoas estão me procurando, mas não fiz qualquer tipo de tratamento ou cura experimental”, bradou.

O médico ainda destacou que o tratamento com células-tronco “teve muito progresso nos últimos 20 anos”, mas encerrou dizendo que “ainda há pouco conhecimento” do que de fato elas podem fazer.

Philippe Menasché é membro do Instituto do Cérebro e da Medula Óssea do Hospital Pitié-Salpêtrière, em Paris.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: ESPN.com.br

Notícias Relacionadas

Comentar: Médico que operou Schumacher nega cirurgia experimental: ‘Não faço milagres’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596