sexta-feira, 17 de Janeiro de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Soldado da PM cria projeto para crianças e adolescentes carentes de Santo Antônio

Soldado da PM cria projeto para crianças e adolescentes carentes de Santo Antônio
Crédito da foto Para Em apenas dois anos, Projeto Lutando para o Bem retirou 40 crianças e adolescentes das ruas (Divulgação)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Um projeto social movido pelas artes marciais, iniciado há dois anos por um policial militar da 4ª Companhia de Santo Antônio da Platina, tem feito diferença na vida de crianças e adolescentes carentes do município. Mais do que prepará-los para defesa pessoal, o Projeto Lutando para o Bem tem por objetivo formar cidadãos.

Em um barracão cedido pela prefeitura no Conjunto Habitacional Aparecidinho 2, o soldado Gilmar José Elias do Prado (faixa preta em Jiu-Jitsu), a mulher dele e o filho do casal, de 14 anos, lançaram o desafio de retirar das ruas crianças e adolescentes e ressocializar pessoas envolvidas com a criminalidade, através do Jiu-Jitsu e do MMA, com o apoio dos instrutores Anderson dos Anjos e Rafael de Jesus. A iniciativa deu certo.

Atualmente, cerca de 40 alunos participam do projeto. As aulas acontecem de segunda-feira a sábado, em horários específicos, e a proposta dos idealizadores é expandir o projeto para outros bairros periféricos do município. Para que isso ocorra, no entanto, Prado depende da iniciativa de empresários e do poder público. “A ideia é oferecer aulas de artes marciais nos bairros como contraturno escolar. Desta forma, crianças e adolescentes menos favorecidas estariam praticando esporte e aprendendo valores para a vida ao invés de se tornarem presas vulneráveis a traficantes de droga num caminho quase sempre irreversível. Com um pouquinho de colaboração das pessoas e do poder público é possível fazer muito por essas comunidades carentes, e os resultados são muito gratificantes”, assegura o policial.

No Projeto Lutando para o Bem, os alunos recebem quimonos, gratuitamente, e as despesas de viagens para a participação em competições são financiadas por empresários e pelo soldado Prado.

No próximo domingo (5), os alunos do Projeto Lutando para o Bem vão participar da 1ª Copa Ourinhense de Jiu-Jitsu, no Ginásio de Esportes Monstrinho, em Ourinhos (SP). As inscrições variam entre R$ 40 e R$ 100, conforme as categorias. Interessados em colaborar com o projeto podem entrar em contato com o soldado Prado através do celular (43) 99648-4747.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Luiz Guilherme Bannwart - tanosite

Notícias Relacionadas

Comentar: Soldado da PM cria projeto para crianças e adolescentes carentes de Santo Antônio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596