terça-feira, 16 de julho de 2019

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Na Câmara, coronel diz que ‘só haverá intervenção’ militar ‘se necessário’

Na Câmara, coronel diz que ‘só haverá intervenção’ militar ‘se necessário’
Crédito da foto Para (foto: Chico Camargo/CMC)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

O coronel Gerson Rolim da Silva, comandante do 20º Batalhão de Infantaria Blindado (BIB), afirmou hoje, na sessão da Câmara Municipal de Curitiba, que “só haverá intervenção” dos miilitares na política brasileira “caso as instituições julguem necessário. O oficial ocupou a “tribuna livre” da Câmara a convite da vereadora Noemia Rocha (PMDB), para falar sobre os 75 anos do 20º BIB, comemorados no mês de outubro.

A declaração do coronel foi dada em resposta a pergunta do vereadora Goura (PDT) sobre as notícias de uma suposta “intervenção militar” no Brasil, em virtura da crise política. O assunto voltou à tona no mês passado, quando em palestra palestra promovida pela maçonaria em Brasília, o general do Exército, Antonio Hamilton Mourão, afirmou que seus “companheiros do Alto Comando do Exército” entendem que uma “intervenção militar” poderá ser adotada se o Judiciário “não solucionar o problema político”, em referência à corrupção de políticos. “Até chegar o momento em que ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso”, disse ele na ocasião.

Para ler a matéria completa acesse o blog Política em Debate

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Bem Paraná com blog Política em Debate

Notícias Relacionadas

Comentar: Na Câmara, coronel diz que ‘só haverá intervenção’ militar ‘se necessário’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596