domingo, 20 de outubro de 2019

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Paraná registra um acidente de trabalho a cada 12 minutos

Paraná registra um acidente de trabalho a cada 12 minutos
Crédito da foto Para Trabalhador da construção civil: área tem campanha nesta semana (Foto: Valquir Aureliano)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Ano após ano, uma verdadeira tragédia se abate sobre o Paraná. Entretanto, não se trata de desastres naturais, guerra ou até mesmo alguma alta nos índices de violência. São os acidentes de trabalho, registrados, em média, a cada doze minutos no Estado, segundo informações do Anuário Estatístico de Acidentes do Trabalho (AEAT), divulgado pela Previdência Social, órgão ligado ao Ministério da Economia.

Entre 2015 e 2017, último ano com dados disponíveis, foram registradas 133.222 ocorrências desse tipo no Paraná. Ao todo, 629 trabalhadores perderam suas vidas – sendo que o ano com maior ocorrências foi 2017, com 222 -, ao passo que outros 2.739 ficaram incapazes permanentemente, o que dá a assustadora média de cinco trabalhadores incapacitados a cada dois dias em decorrência de acidentes de trabalho.

Considerando-se a Classificação Nacional de Atividade Econômica (CNAE), temos que a indústria da transformação é a que concentra o maior número de acidentes, com 42.746. Em seguida aparece o comércio, reparação de veículos automotores e bicicletas, com 19.854 casos, e os as atividades ligadas à saúde e serviços sociais, com 12.174.

Os cinco primeiros lugares das atividades econômicas ainda trazem a presença do setor de transporte, armazenagem e correio, com 9.951 casos, ao passo que o setor de construção fecha o top five, com 7.836 registros.

Embora o cenário já seja alarmante, Adir de Souza, presidente do Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho no Estado do Paraná (Sintespar), alerta que os dados oficiais podem ser apenas a ponta do iceberg. “Os números são grandes, uma verdadeira tragédia. Mas esses são só os dados oficiais, de trabalhadores com carteira assinada. Aí não está o trabalhador autônomo, o trabalhador rural. Isso está muito longe da realidade”, afirma Adir.
Entre os problemas mais recorrentes, destacam-se traumas em membros superiores, principalmente punhos e mãos, e problemas ósseos-musculares, como tendinite e dores musculares. Uma outra situação, porém, vem na crescente nos últimos anos: os transtornos mentais, como a depressão e os casos de estresse pós-traumático, entre outros.


Canteiro de obras são alvo de campanha de prevenção da Secretaria de Saúde
O Paraná tem hoje 123 mil trabalhadores na área da construção civil. De acordo com informações do Observatório de Saúde e Segurança no Trabalho e do INSS, os maiores índices de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho são registrados em canteiros de obras. A campanha da Secretaria de Estado da Saúde no Abril Verde 2019 tem o objetivo de alertar e sensibilizar profissionais e empresários do segmento. A campanha de prevenção a acidentes de trabalho foi lançada pela secretaria na segunda-feira, em Curitiba, e segue até sexta. “A construção civil paranaense é um ramo de grande importância econômica e se destaca como provedora de empregos, mas também é responsável por um número significativo de acidentes graves e fatais”, explica o diretor do Centro Estadual de Saúde do Trabalhador (CEST), Elizeu de Oliveira Freitas.

Dados do Anuário

Acidentes de trabalho no Paraná
201741.807
201643.549
201547.866
TOTAL133.222
Óbitos decorrentes de acidentes de trabalho no Paraná
2017222
2016195
2015212
TOTAL629
Trabalhadores com incapacidade permanente
2017826
2016990
2015923
Total2.739

 

Acidentes de trabalho por CNAE
(2015-2017)
Indústrias de transformação42.746
Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas19.854
Saúde humana e serviços sociais12.174
Transporte, armazenagem e correio9.951
Construção7.836
Atividades administrativas e serviços complementares5.625
Alojamento e alimentação4.453
Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura4.078
Administração pública, defesa e seguridade social3.148
Água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação3.060
Educação2.979
Outras atividades de serviços1.895
Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados1.414
Informação e comunicação1.156
Atividades profissionais científicas e técnicas1.151
Eletricidade e gás678
Artes, cultura esporte e recreação462
Indústrias extrativas300
Atividades imobiliárias250
Serviços domésticos23
Ignorado9.989
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Rodolfo Luis Kowalski

Notícias Relacionadas

Comentar: Paraná registra um acidente de trabalho a cada 12 minutos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596