Monday, 30 de November de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Após temporais, Paraná tem previsão de geada

Após temporais, Paraná tem previsão de geada
Photo Credit To Agência Brasil -
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

As temperaturas devem cair no Sul do país esta semana, após vários dias de chuva intensa na região. As áreas chuvosas se afastaram do Paraná nea terça-feira (21), mas as temperaturas deverão ter uma queda acentuada na região sul do estado na madrugada desta quarta-feira (22). A previsão do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) é de 3 ou 4º C na região de Palmas (95 km a leste de Pato Branco), o que já configura uma geada de fraca intensidade. Na região de Londrina, a mínima deve ficar na casa dos 10ºC.

A frente fria se desloca em direção ao estado de São Paulo e a previsão do Simepar é que as temperaturas voltem a aumentar na quinta-feira. A chuva só deve voltar ao Paraná no final da semana.

Após os temporais que atingiram o Paraná a partir do dia 10 de julho, o governo federal reconheceu, por procedimento sumário, a situação de emergência em 28 municípios do estado. As prefeituras de Manfrinópolis e Marquinho também decretaram situação de emergência.

Reprodução/Pixabay
Reprodução/Pixabay

Segundo a Defesa Civil do Paraná, mais de 48,9 mil pessoas foram afetadas em 67 municípios, 571 permanecem desalojadas e 114 desabrigadas. Duas pessoas morreram e 37 ficaram feridas. Mais de 3,9 mil casas foram danificadas e 18 destruídas por causa dos granizos, vendavais, tornados, enxurradas e inundações.

Em Santa Catarina, o ar frio e seco deixa o tempo estável com presença do sol, mas também há previsão de geada nas áreas altas do meio oeste, com temperaturas entre 2ºC e 4ºC, e planalto sul, com temperaturas de -3ºC a 3ºC, segundo o Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina.

De acordo com a Defesa Civil de Santa Catarina, 59 municípios foram afetados pelas chuvas e 26 decretaram situação de emergência. Os municípios mais atingidos – Coronel Freitas e Saudades – decretaram estado de calamidade pública. Maravilha também apresentaria decreto de calamidade pública, mas deve reavaliar para situação de emergência.

Um ciclone extratropical provocou ventos de quase 100 km/h em Laguna, hoje. Os temporais deixaram dois mortos e oito feridos. No total, mais de 19,5 mil pessoas foram afetadas, 1.440 desalojados (temporários), 94 desabrigados (permanente). Segundo o levantamento preliminar da Defesa Civil, o número de residências danificadas ou destruídas chega a 1.263. Ao menos 85 empresas e 43 prédios públicos (incluindo escolas e unidades de saúde) foram atingidos. Também foram prejudicadas 628 estruturas públicas, como pontes.

Os prejuízos econômicos privados gerados somam R$ 12.994.626,89. Já as perdas econômicas no setor público somam R$ 25.921.68,00. O Inmet emitiu alerta para o perigo potencial da massa de ar frio e seco que está sobre a região. No Rio Grande do Sul, o retorno das chuvas deverá ocorrer entre sexta-feira (24) e sábado (25). A partir de domingo (26), retorna o tempo seco, por cerca de uma semana.

O Inmet emitiu alerta para o perigo potencial da massa de ar frio e seco que está sobre a região. No Rio Grande do Sul, o retorno das chuvas deverá ocorrer entre sexta-feira (24) e sábado (25). A partir de domingo (26) retorna o tempo seco, por cerca de uma semana.

As chuvas dos últimos dias atingiram mais de 50 mil pessoas em 63 do estado e 14 deles têm a situação mais crítica. Aproximadamente duas mil pessoas estão em abrigos, de acordo com a Defesa Civil do Rio Grande do Sul. O governo do estado instituiu um gabinete de emergência e decretou situação de emergência coletiva em 26 municípios, até o momento.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Post source : Agência Brasil -

Related posts

Comentar: Após temporais, Paraná tem previsão de geada

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp 596