quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Duke Energy solta 100 mil pacus no Paranapanema

Duke Energy solta 100 mil pacus no Paranapanema
Crédito da foto Para Assessoria Duke Energy
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Com a participação de alunos da rede pública de ensino, ação será realizada no dia 30, em Itambaracá

Nesta quinta-feira (30), a Duke Energy realiza mais uma soltura de peixes no reservatório da UHE Canoas I. Desta vez, a ação ocorre em Itambaracá e faz parte do programa de manejo pesqueiro da companhia, que é concessionária de oito hidrelétricas ao longo do Paranapanema.

Anualmente, a Duke Energy coloca 1,5 milhão de peixes na Bacia do Paranapanema, contribuindo para a reposição do estoque pesqueiro e manutenção da biodiversidade. De acordo com Norberto Vianna, biólogo e consultor da área de Meio Ambiente da empresa, nesta primeira etapa de 2015 o programa viabilizará a soltura de 920 mil peixes jovens, distribuídos em oito ações distintas. Os pontos de soltura são selecionados por oferecerem melhores condições de abrigo e alimentação aos novos peixes.

Vianna explica que ao selecionar as espécies para os trabalhos de repovoamento, a Duke Energy leva em consideração a capacidade de formarem populações sustentáveis e o seu valor para economia e cultura de pesca amadora e profissional. Além do pacu, a companhia utiliza curimbatá, piracanjuba, piapara, piava-três-pintas e dourado.

Educação Ambiental
Em Itambaracá 40 alunos do ensino fundamental acompanharão a soltura dos pacus e curimbatás no reservatório. Antes, eles participam de palestra sobre a reprodução de peixes em cativeiro e a importância do repovoamento, ministrada pelo analista de Meio Ambiente da Duke Energy, Luis Augusto Nogueira Perino. Ao final, as crianças ganham gibis educativos produzidos pela companhia sobre o tema.

“Quando integram ações como essas, as crianças se sentem envolvidas nos esforços de recuperação ambiental. Elas também desenvolvem um importante trabalho de multiplicar informações e promover a conscientização em defesa da natureza”, comenta Perino.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Assessoria Duke Energy

Notícias Relacionadas

Comentar: Duke Energy solta 100 mil pacus no Paranapanema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125