sábado, 6 de junho de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Região não tem risco de desabastecimento, mas seca preocupa

Região não tem risco de desabastecimento, mas seca preocupa
Crédito da foto Para Imagem Ilustrativa google imagens
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Ao menos a princípio não deve faltar água nas torneiras dos moradores do Norte Pioneiro. Entretanto, o longo período de estiagem causou a redução drástica da vazão de praticamente todos os rios da região e a situação é bem preocupante. Ibaiti, Quatiguá, Santo Antônio da Platina e Siqueira Campos apresentam as situações mais delicadas pelo baixo nível de seus reservatórios.

De acordo com o gerente regional da Sanepar, Juarez Wollz, as medidas tomadas no ano passado, como a abertura de poços artesianos, têm garantido o abastecimento, mas a preocupação é grande e se a seca severa permanecer por mais tempo pode sim acarretar em desabastecimentos.

“Faz três anos que não chove o necessário na nossa região e agora todo o sul do Brasil vive um período muito forte de falta de chuvas. Então já estamos enviando SMS para os clientes principalmente de Ibaiti, Quatiguá, Santo Antônio da Platina e Siqueira Campos que façam uso racional da água ou corremos risco de ter problemas mais graves”, alerta.

“No momento não existe risco de desabastecimento até pelo trabalho que realizamos no ano passado com poços artesianos e melhorias nas captações de vários municípios, mas nós realmente precisamos da ajuda da população nesta hora. O nível de água dos rios em toda região está baixo, inclusive muitos moradores da zona rural já estão sofrendo bastante pela dificuldade em abastecer as propriedades”, continua Juarez.

Destes quatro municípios citados, o caso mais grave é Quatiguá. O rio Lageado, que abastece a zona urbana e parte da zona rural, está com apenas 20% da vazão normal. Um poço artesiano foi furado ano passado, porém não foi encontrado água e hoje o abastecimento continua normal graças a caminhões pipa que têm levado água até o reservatório da Sanepar na cidade.

Em Santo Antônio da Platina e Siqueira Campos o abastecimento se mantém regular graças a poços artesianos, furados justamente porque os rios que abastecem os municípios já há algum tempo apresentam níveis bem inferiores aos considerados ideais.

“Nós estamos com equipes atuando 24 horas, mesmo com alguns funcionários fazendo o home office por conta da pandemia. E esse é mais um motivo para todo mundo não gastar água à toa, porque agora num período deste é fundamental que o abastecimento para todos continue normalizado”, completa o gerente da Sanepar.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Tribuna do Vale

Notícias Relacionadas

Comentar: Região não tem risco de desabastecimento, mas seca preocupa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596