Sunday, 1 de November de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Acusado de matar jovem durante carona combinada pelo WhatsApp é condenado

Acusado de matar jovem durante carona combinada pelo WhatsApp é condenado
Photo Credit To Kelly Cristina Cadamuro morreu aos 22 anos
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Acusado pela morte de Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, Jonathan Pereira do Prado foi condenado a mais de 45 anos de prisão. De acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira (19) pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), o juiz Gustavo Moreira entendeu que a participação de Jonathan na reconstituição do crime, seguida da confissão, não deixa dúvidas quanto à autoria dos crimes presentes no inquérito policial.

Jonathan foi condenado por matar Kelly depois de pegar uma carona combinada pelo WhatsApp. Familiares da vítima contam que ela participava de um grupo de carona e tinha combinado de levar um casal de São José do Rio Preto (SP) para Itapagipe (MG). Antes de pegar carona, porém, Jonathan informou que a namorada havia desistido.

Já na estrada, o réu pediu que a vítima parasse o carro. Nesse momento, ele teria atacado a mulher, que desmaiou. Segundo o Ministério Público, a vítima sofreu constrangimento sexual, foi brutalmente agredida e enforcada.

O crime aconteceu em 1º de novembro de 2017, na rodovia MG-255, na zona rural de Frutal. No dia seguinte ao crime, na estrada rural que liga o município de Mirassol (SP) ao distrito de Mirassolândia (SP), ocultou o corpo.

De acordo com Moreira, detalhes como a abordagem, a imobilização da vítima, o deslocamento da mesma para local ermo e o descarte do corpo no rio foram admitidos pelo acusado.

Jonathan vai responder por 42 anos, 11 meses e sete dias de prisão em regime fechado e a mais dois anos, 11 meses e sete dias em regime semiaberto.

Outros acusados

Outros investigados, que comprar objetos da vítima, como celular e rodas e pneus do veículo, também foram condenados. Um foi condenado a dois anos e seis meses de reclusão e a outros dois anos e oito meses de detenção.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Post source : Banda B com TJ-MG

Related posts

Comentar: Acusado de matar jovem durante carona combinada pelo WhatsApp é condenado

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp 596