terça-feira, 15 de junho de 2021

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Atiradores se passam por policiais e matam dois; mulher morta era testemunha de crime

Atiradores se passam por policiais e matam dois; mulher morta era testemunha de crime
Crédito da foto Para (Fotos: Djalma Malaquias - Banda B)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Testemunha de um assassinato, Lucineia da Conceição, de 20 anos, foi morta a tiros no fim da madrugada de quinta-feira (20). Jackson Michael da Silva, de 19, que estava na mesma residência também foi executado. O crime aconteceu Rua Pedro Francisco Ramos com João Dovhepoly, no bairro Guarituba, em Piraquara, região metropolitana de Curitiba.

Lucineia viu o marido, Michael Roberto, ser morto quando chegava em uma festa em São José dos Pinhais, em janeiro deste ano. Desde então, vinha sofrendo ameaças. Ela estava morando, ao lado do filho de quatro anos, na casa de Jackson e a esposa, que não foi atingida pelos disparos.

“Eles chegaram dizendo que eram policiais e jogaram as crianças para o lado. Dispararam na Lucineia e no meu marido”, disse a esposa de Jackson, chorando muito e confirmando que, além do menino de quatro anos, o filho dela, com poucos meses de vida, estava na residência.

Segundo a ex-sogra de Lucineia, mãe de Michael Roberto, desde o crime contra o filho a nora sofria ameaças. “Tínhamos advogados e provas sobre as ameaças que ela vinha sofrendo. Fizemos Boletim de Ocorrência e pedimos por ajuda. O que fazer agora com o menino de quatro anos? Perdeu o pai e viu o a mãe ser morta”, lamentou a avó, que quer que a justiça seja feita.

Dois suspeitos de terem cometido o crime contra Michael estão presos. Agora, a Polícia Civil tem mais este duplo assassinato para investigar.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Banda B

Notícias Relacionadas

Comentar: Atiradores se passam por policiais e matam dois; mulher morta era testemunha de crime

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596