sexta-feira, 18 de junho de 2021

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Chefia do IML admite precariedade, mas projeta melhorias no 2º semestre

Chefia do IML admite precariedade, mas projeta melhorias no 2º semestre
Crédito da foto Para IML de Jacarezinho atende 27 municípios da região, mas estrutura está longe da ideal – Foto: Lucas Aleixo
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

“A estrutura pode não ser a ideal, mas o trabalho de toda equipe tem sido muito intenso para que a população não seja prejudicada. E já temos algumas melhorias importantes para acontecer nos próximos meses”. A frase é do chefe do IML (Instituto Médico-Legal) de Jacarezinho, Braz Vitor Pereira Filho, que está no cargo desde dezembro do ano passado.

Mesmo apenas três médicos legistas na unidade, enquanto o ideal seria pelo menos o dobro de profissionais, Braz Vitor garante que o esforço de toda a equipe do IML tem sanado de certa forma a estrutura defasada.

Além dos três legistas, o IML de Jacarezinho ainda conta com três auxiliares de perícia, três auxiliares de necropsia e uma única viatura. O espaço físico para as autopsias também é limitado.

O chefe da unidade, entretanto, afirma categoricamente que os trabalhos têm acontecido dentro da normalidade. “Temos uma viatura, mas são raros os casos onde precisaria de uma segunda unidade, e quando há necessidade recorremos ao IML de Londrina. A liberação dos corpos também acontece de forma ágil, mas uma autopsia leva pelo menos duas horas, então nunca é um processo rápido. Não foram poucas as vezes da gente sair de madrugada e no outro dia estar aqui de manhã, sempre para não deixar a população na mão”.

O trabalho de autópsias, por uma norma geral do Instituto Médico-Legal, acontece entre as 8h e 23h. Já as perícias acontecem 24 horas, de acordo com a demanda. Os trabalhos são diários, sem pausas nos finais de semana.

Em média, 300 corpos por ano passam pelo IML de Jacarezinho. Já o número de perícias varia muito, de acordo com a demanda, mas chegam a 10 atendimentos deste gênero por dia em determinadas situações. 27 municípios da região são atendidos pela unidade.

MELHORIAS

As melhorias citadas pelo chefe da unidade são a chegada de um novo médico legista, prevista para os próximos 60 dias, e um processo muito mais ágil na liberação dos resultados de exames.

“Estive quarta-feira agora em Curitiba e conversamos sobre nossas necessidades, acredito que este ano ainda venham mais melhorias para nossa unidade. O IML trabalha só com situações delicadas, então nosso compromisso é de trabalhar de forma mais eficiente possível para, no mínimo, não aumentar a dor das famílias e das pessoas atendidas”, completa Braz Vitor.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Tribuna do Vale

Notícias Relacionadas

Comentar: Chefia do IML admite precariedade, mas projeta melhorias no 2º semestre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596