quinta-feira, 9 de Abril de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Ladrões de gado fazem mais uma vítima

Ladrões de gado fazem mais uma vítima
Crédito da foto Para Divulgação
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Mais uma propriedade rural, em Santo Antônio da Platina, foi invadida nesta quarta-feira (18) por bandidos que sacrificam gado para roubar a carne do animal. Desta vez, o crime foi registrado na fazenda Santa Maria, no bairro Água da Volta, de propriedade do médico Luiz Henrique Bastos Mendes. A exemplo do ocorrido no dia anterior em um sítio no bairro Ribeirão Bonito, os criminosos abateram uma vaca prenha cujo bezerro nasceria dentro de no máximo cinco dias.

O abate do animal foi percebido por volta das 7 horas pelo administrador da fazenda, Claudinei Correa da Silva, quando ele se dirigia ao curral para abastecer os cochos com sal para o gado. “A minha casa fica a uns dois quilômetros de distância da mangueira, e eu não percebi nenhuma movimentação estranha durante a madrugada. Somente pela manhã, quando fui levar o sal para tratar o gado, me deparei com os restos mortais da vaca e seu bezerro sem vida no pasto”, disse o trabalhador rural.

Silva contou que mora na fazenda há 22 anos, e que esta foi a quarta vez que bandidos abateram animais no pasto da propriedade para roubar a carne. Segundo ele, há cerca de três meses um caso parecido aconteceu em uma propriedade vizinha. Para o administrador da fazenda Santa Maria, trata-se de um grupo de duas ou três pessoas que age indiscriminadamente na zona rural do município. “Ontem (terça-feira) eles agiram da mesma forma em um sítio no Ribeirão Bonito. Aqui na fazenda, no entanto, não arrebentaram cercas nem estouraram o cadeado da porteira. Os bandidos caminharam por aproximadamente 800 metros carregando18 arrobas de carne nas costas até algum veículo estacionado próximo ao Santuário Nossa Senhora das Graças”, avalia.

O crime ocorrido na fazenda Santa Maria foi o segundo, com características semelhantes, registrado em menos de 24 horas na 38ª Delegacia Regional de Polícia, que no próximo dia 24 completará 60 dias sem delegado titular.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Tanosite

Notícias Relacionadas

Comentar: Ladrões de gado fazem mais uma vítima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596