domingo, 12 de julho de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Pai de motociclista que atropelou três no Batel também vai responder por acidente

Pai de motociclista que atropelou três no Batel também vai responder por acidente
Crédito da foto Para Reprodução Gogle Street View
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

O pai do motociclista Leonardo de Magalhães Fonseca prestou depoimento à Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) nesta terça-feira (17) e confirmou ser o dono do veículo envolvido no acidente que deixou três pessoas atropeladas na Avenida do Batel, em Curitiba.

Em entrevista à Banda B, o delegado Anderson Franco explicou que o pai vai responder pelo artigo 310, pois sabia da condição de carteira suspensa de Leonardo. “A pena pelo que ele responde é uma pena leve, de seis meses a um ano de detenção, então assinou um termo circunstanciado aqui na delegacia”, explicou.

O artigo 310 do Código de Trânsito Brasileiro trata de “permitir, confiar ou entregar a direção de veículo automotor a pessoa não habilitada, com habilitação cassada ou com o direito de dirigir suspenso, ou, ainda, a quem, por seu estado de saúde, física ou mental, ou por embriaguez, não esteja em condições de conduzi-lo com segurança: Penas – detenção, de seis meses a um ano, ou multa”.

Durante o depoimento, o pai explicou o motivo de a moto estar em nome de terceiro. “Essa pessoa compareceu até aqui junto com o pai e ambos confirmaram o empréstimo do nome para um financiamento. A moto sempre continuou com o pai do Leonardo e o empréstimo só aconteceu por conta de uma transação financeira”, concluiu o delegado.

Leonardo se apresentou à Dedetran na última sexta-feira (13). Ele recebeu alta do Hospital Marcelino Champagnat, onde estava internado desde o dia do acidente e colocou tornozeleira eletrônica. O jovem de 22 anos tinha dificuldades para falar devido a colocação de oito pinos no rosto e de ter perdido os dentes superiores no acidente. Apesar disso, brevemente, afirmou que irá responder pelo o que fez. “Eu sei o que fiz e vou arcar com isso”, limitou-se a dizer o jovem, que foi à especializada ao lado da mãe e da advogada Louise Mattar Assad, que assumiu a defesa dele.

Vítimas

As duas vítimas que foram socorridas em estado grave após acidente, de acordo com familiares, apresentaram significativas melhoras nos hospitais em que estão internadas, mas seguem nas UTIs dos hospitais Pequeno Príncipe e do Trabalhador.

A terceira vítima recebeu alta no mesmo dia do acidente.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento

Notícias Relacionadas

Comentar: Pai de motociclista que atropelou três no Batel também vai responder por acidente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596