quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Paraná: Abalada, mãe de jovem que mandou matar avó diz que não vai ajudar filha

Paraná: Abalada, mãe de jovem que mandou matar avó diz que não vai ajudar filha
Crédito da foto Para Yasmin está presa desde a última quarta-feira (29). (Foto: Reprodução)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

mãe de Yasmin Vitória da Silva Souza, de 18 anos, presa por ter mandado matar a avóLaurinda Aparecida Mesquita da Silva, 67, disse que não vai dar nenhuma assistência à filha. Ela ainda não consegue acreditar que a jovem foi capaz de planejar todo o crime.

“A minha mãe nunca tratou a minha filha mal. A Yasmin deve ser mais doente do que nós achávamos que ela era. Eu ainda estou pensando sobre o depoimento que ela deu e não sei o que dizer. Eu não imaginei que ela tivesse coragem de arquitetar tudo isso”, disse a mãe da suspeita, que preferiu não se identificar, em entrevista à imprensa.

Ela contou ainda que, no dia do crime, em 31 de julho deste ano, as três almoçaram juntas e tudo parecia normal. “Eu tomei café, almocei com a minha mãe, e mais tarde ela esteve na minha casa. Eu jamais iria desconfiar que isso poderia acontecer”, completou.

Comportamento

De acordo com a mãe de Yasmin, a jovem tinha um comportamento “problemático” desde a infância. “Nessa época, ela fez tratamento psicológico, mas nunca imaginei que havia algo tão pior dentro dela. Ela sempre foi muito amada pela família, mas era infeliz… Tentou suicídio por mais de uma vez. Acho que tudo isso foi somando com o tempo. Depois da prisão, ela disse para mim que estava com um ódio muito grande e que não sabia que sentiria saudade da avó, como ela está sentindo. No momento, eu não posso ajudá-la, porque se trata da minha mãe”, desabafou.

Ela afirmou ainda que Laurinda era uma mulher muito forte e ativa. “Ela era aposentada, mas não dependida de ninguém. Era totalmente livre e foi muito amada por familiares, vizinhos e amigos”, finalizou.

O crime

Yasmin confessou que contratou um “assassino de aluguel” para matar a avó, por intermédio de um rapaz com quem ela já se relacionou. Os três estão presos e devem responder por homicídio qualificado.

O crime aconteceu na casa onde a avó e a neta moravam, no bairro Tatuquara, em Curitiba. Na ocasião, a neta mandou uma mensagem para o assassino, avisando que estava saindo da residência para comer e que Laurinda ficaria sozinha.

Segundo a polícia, ela desenhou um mapa da casa para que ele soubesse exatamente aonde ir e deixou ainda uma luva cirúrgica na caixa de correio, para evitar impressões digitais.

O celular e uma corrente dourada que a vítima usava foram levados pelo autor após o assassinato, o que fez a polícia acreditar, inicialmente, que o caso se tratava de um latrocínio (roubo seguido de morte). Mas as investigações apontaram para a neta como a autora do crime.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Marina Sequinel e Flávia Barro

Notícias Relacionadas

Comentar: Paraná: Abalada, mãe de jovem que mandou matar avó diz que não vai ajudar filha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596