terça-feira, 27 de julho de 2021

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Paraná: Gaeco mira esquema de fraude na fila do SUS com mandados na Alep e em hospital no Paraná

Paraná: Gaeco mira esquema de fraude na fila do SUS com mandados na Alep e em hospital no Paraná
Crédito da foto Para Agentes do Gaeco cumprem mandados de busca e apreensão na sede da Alep nesta segunda-feira – Foto Banda B
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) realiza na manhã desta segunda-feira (10) uma operação que investiga agentes públicos e médicos, em organização criminosa que cobrava indevidamente de pacientes para furar a fila do Sistema Único de Saúde (SUS). Ao todo, estão sendo cumpridos 12 mandados de prisão temporária e 44 mandados de busca e apreensão expedidos pelo órgão especial do Tribunal de Justiça do Paraná. A ação faz parte da Operação Mustela.

As prisões temporárias foram determinadas contra dois médicos, assessores, secretárias e intermediadores, um deles vereador em Bandeirantes.

Os mandados de busca são cumpridos em dez cidades (Curitiba, Campo Largo, Marechal Cândido Rondon, Almirante Tamandaré, Campina Grande do Sul, Telêmaco Borba, Bandeirantes, Campo Magro, Colombo e Siqueira Campos), atingindo o gabinete do deputado estadual Ademir Bier (PSB).

As investigações foram iniciadas há cerca de 18 meses na Promotoria de Justiça de Campo Largo.

 

Bier  não foi reeleito nas últimas eleições. Agentes do Gaeco chegaram ao prédio por volta das 7 horas. Não se sabe qual seria o envolvimento do deputado no esquema.

Também há mandados de busca e apreensão sendo cumpridos no Hospital São Lucas, em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba.

Esquema

De acordo com o coordenador do Gaeco, promotor Leonir Batisti, o esquema envolvia atendimento preferencial no SUs mediante pagamento “por fora” para médicos, hospital e clínicas.

“A operação investiga uma situação que envolve prejuízo às pessoas qeu se socorrem do SUS.  A situação que ocorre é que as pessoas que triam que esperar por uma cirurgia por exemplo, acabam procurando ou  sendo procuradas por intermediários, entre os quais assessores de políticos, e estes conseguem o procedimento com prioridade, furando assim a fila do SUS. E como conseguem isso? pagando pela consulta no início e, na sequência, fazendo um pagamento adicional para a cirurgia bancada pelo SUS, o que é ilegal”, relatou Batitsti.

A operação do Gaeco foi batizada de “Mustela”  em referência ao gênero de mamíferos que inclui animais conhecidos como furões.

Mais informações serão repassadas em entrevista coletiva nesta segunda-feira

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Banda B

Notícias Relacionadas

Comentar: Paraná: Gaeco mira esquema de fraude na fila do SUS com mandados na Alep e em hospital no Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596