Thursday, 22 de October de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Polícia do Paraná está nas ruas contra quadrilha de um dos maiores estelionatários do país

Polícia do Paraná está nas ruas contra quadrilha de um dos maiores estelionatários do país
Photo Credit To (Foto: Polícia Civil)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) está nas ruas desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (15), para desmantelar uma associação criminosa comandada por um homem suspeito de ser um dos maiores estelionatários do país. O bando é investigado por criar falsos sites de vendas de variados segmentos e comercializar dados de cartões de crédito obtidos indevidamente de terceiros.

Os policiais civis têm a missão de cumprir dez ordens judiciais, de forma simultânea, no Paraná e em Goiás. Entre os mandados, cinco referem-se a prisão temporária e cinco a busca e apreensão em endereços relacionados aos alvos.

As investigações tiveram início no mês de abril deste ano, quando o líder do grupo foi preso em flagrante por manter ativo um site falso para venda de máscaras, álcool em gel, medicamentos e respiradores mecânicas. Na época, estimou-se vantagem superior a R$ 100 mil em cima de empresas e pessoas físicas do Paraná, São Paulo em Santa Catarina.

Em continuidade às diligências, a PCPR descobriu que este era só um dos tantos sites criados exclusivamente para aplicar golpes. Além disso, o golpista seria detentor de um site que oferecia cursos para outros estelionatários. Entre as modalidades ofertadas estavam: criação de sites fraudulentos e aquisição indevida de dados bancários para compras em nome de terceiros.

Os demais investigados teriam função de gerenciamento e suporte a outros estelionatários ou até mesmo vítimas. Estes também gerenciavam sites fraudulentos criados pelo líder do bando, com apoio de estelionatários de São Paulo e Ceará. Para cada golpe bem sucedido, os associados a ele recebiam 70% do valor.

As investigações continuam com o intuito de identificar demais pessoas envolvidas com o grupo criminoso.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Post source : Polícia Civil

Related posts

Comentar: Polícia do Paraná está nas ruas contra quadrilha de um dos maiores estelionatários do país

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp 596