segunda-feira, 10 de Maio de 2021

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Polícia identifica mulher esquartejada no Centro Cívico e descobre que ela já tinha ido até a delegacia

Polícia identifica mulher esquartejada no Centro Cívico e descobre que ela já tinha ido até a delegacia
Crédito da foto Para Mulher tinha 37 anos e era usuária de drogas. Foto: Reprodução/Facebook
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

A polícia sabe quem era a mulher assassinada e esquartejada na última quarta-feira (2), no bairro Centro Cívico, em Curitiba. Ela é natural de Curitiba, tem 37 anos, e foi identificada como Júlia Alvarenga Formizano.  A delegada Sabrina Alexandrino disse à imprensa que a mulher era usuária de drogas e conhecia os assassinos.

“Sabemos que a vítima era dependente química e teve um ex-namorado traficante, que também foi assassinado. Assim, acredita-se que o crime pode ter uma motivação relacionado a isso”, disse a delegada. A princípio, Sabrina disse que a identidade dela não seria revelada. Entretanto, uma coletiva de imprensa com o Instituto de Identificação pôs fim às dúvidas.

A mulher brutalmente assassinada já foi ouvida na DHPP como testemunha do crime contra o ex-namorado. “Ela já esteve aqui para prestar esclarecimentos. É uma mulher que tem RG no estado do Paraná e também em Santa Catarina”, afirmou.

Suspeitos negam

O segundo suspeito de matar e esquartejar a jovem também nega o crime, assim como o outro detido no dia do crime.  Preso pela Guarda Municipal de Curitiba (GM), na última sexta-feira (4), Marco Aurélio Barbosa disse que nem sequer conhecia a mulher. “Ele diz que não participou, porém temos testemunhas isentas e outras provas que o apontam como envolvido no caso. Agora resta saber a motivação exata, onde o crime aconteceu e se outras pessoas, além dos dois detidos, participaram”, concluiu a delegada.

 

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Luiz Henrique de Oliveira e Djalma Malaquias

Notícias Relacionadas

Comentar: Polícia identifica mulher esquartejada no Centro Cívico e descobre que ela já tinha ido até a delegacia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596