sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Água baixa e moradores começam limpeza do que a chuva alagou

Água baixa e moradores começam limpeza do que a chuva alagou
Crédito da foto Para Antônio da Silva mostra móvel danificado pelo alagamento - (Fotos: Antônio de Picolli)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Os moradores de Conselheiro Mairinck, cidade com 3,8 mil habitantes no Norte Pioneiro, ainda contabilizam os prejuízos causados pela tempestade que atingiu o município no início da noite de quinta-feira (26). Segundo a o Departamento Municipal de Assistência Social, ao menos 25 famílias foram prejudicadas pelos alagamentos ocorridos na área central e no bairro Postão. No entanto, segundo a prefeitura, não houve registro de feridos nem de desabrigados.

A tempestade teve início por volta das 18h30, e conforme os moradores durou pouco mais de meia hora, o suficiente para transbordar o Ribeirão Vermelho, que corta a cidade.

Em algumas ruas do centro, como a 15 de Novembro e a Maria Bergmann, por exemplo, o nível da água ultrapassou a marca de um metro de altura e os moradores perderam praticamente tudo que tinham dentro das casas.

Na manhã desta sexta-feira 27, o cozinheiro Antônio Eduardo da Silva, de 59 anos, verificava o que ainda seria possível aproveitar dentro da residência. “Foi tudo muito rápido, não deu tempo de fazer quase nada. O ribeirão encheu, e em poucos minutos transbordou. Perdi todo o mantimento, móveis e eletrodomésticos. Agora resta recomeçar”, contou o morador.

Na casa em frente, o funileiro Douglas José Pedro Martins, de 22 anos, observava desolado a mudança completamente destruída amontoada na varanda do imóvel onde mora com a mãe, a mulher e uma filha. “Fiquei preso na entrada da cidade, pois a água invadiu a rodovia e impediu a passagem. Quando consegui chegar em casa, não tinha mais o que fazer para impedir os estragos” lamentou Martins.

Caminhando pelos bairros, as histórias se repetiam. O técnico agrícola Adauto Aparecido Lopes, de 42 anos, disse que ainda durante à noite o prefeito esteve pessoalmente na sua casa, na avenida Deputado José Afonso, para oferecer ajuda à família. “Ele (o prefeito Alex Sandro Domingues) viu os estragos pessoalmente, e prometeu nos ajudar. Pela manhã, os funcionários da Assistência Social estiveram aqui para avaliar os danos. Vamos aguardar!”, pondera.

Conforme apurou a reportagem, o caso mais grave foi registrado no centro da cidade. Além dos danos materiais na residência da dona de casa Elza Pedro, de 40 anos, parentes e vizinhos tiveram bastante dificuldade para retirar do imóvel sua mãe, de 70 anos, e uma idosa de 93 anos acamada que vive com a família. “Foi muito desesperador. A água invadiu a casa, e em poucos minutos quase chegou na janela. Mas graças a Deus estamos todos bem”.

De acordo com a diretora municipal de Assistência Social, Vivia Aparecida Silva Ogg, os desalojados foram atendidos ainda durante à noite pela Defesa Civil Municipal. No entanto, o número total de vítimas ainda está sendo levantado pela prefeitura.

O comandante do Corpo de Bombeiros de Santo Antônio da Platina, tenente Jefferson Gregório, descartou a possibilidade de os alagamentos terem sido consequência do rompimento de duas barragens no município conforme chegou a ser divulgado pela imprensa. Segundo o oficial, a tempestade que atingiu a região no início da noite de quinta-feira foi a causa do problema.

Pela manhã, a Sanepar emitiu uma nota informando a população sobre a possibilidade de interrupção no fornecimento de água na cidade. Porém, segundo os moradores, o serviço não foi comprometido.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Luiz Guilherme Bannwart

Notícias Relacionadas

Comentar: Água baixa e moradores começam limpeza do que a chuva alagou

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596