Wednesday, 23 de September de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Chuva provoca recorde de desastres no Paraná

Chuva provoca recorde de desastres no Paraná
Photo Credit To Trecho de rodovia estadual danificada pelas chuvas nesta semana: ao todo, Estado tem 32 trechos com problemas (foto: Divulgação/DER-PR)
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Não foi só na economia e na política que o ano de 2015 foi desastroso. De acordo com levantamento dos Relatório de Ocorrências da Defesa Civil, o ano que passou também foi repleto de desastres naturais envolvendo chuvas no Paraná. Ao todo foram 549 ocorrências, que vão desde vendavais e tornados até deslizamentos e alagamentos, afetando 237 municípios. São os maiores números desde 2011, segundo o levantamento.

De acordo com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, a alta no número de ocorrências se deve a diversos fatores, mas dois deles são preponderantes — o primeiro a melhoria do Sistema Informatizado de Defesa Civil (SISDC) e o segundo, o fenômeno climático El Niño, que no ano passado foi especialmente forte, repetindo ocorrências extremas de 1982 e 1997, quando afetou as características climáticas de várias regiões do planeta e também a economia global.

“O número de registros já vinha aumentando, mas não necessariamente o número de ocorrências. Passamos a ter um sistema que permite o registro online de ocorrências mais rápido, um sistema único no Brasil, e também estamos registrando mais. Há algum tempo atrás eu tenho certeza que muitas vezes só se registrava se fosse uma coisa que levasse a uma situação de emergência”, explica o Capitão Eduardo Gomes Pinheiro, chefe do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (Ceped).

Afetados

Mas se as ocorrências estão mais comuns, o número de pessoas afetadas despencou. Entre 2011 e 2014, registrou-se uma média anual de 1,3 milhões de afetados por desastres naturais no Estado. Em 2015, no entanto, foram 393.346 pessoas afetadas, uma redução de 69,7% na comparação com 2014, quando foram registrados 1.297.838 afetados. Em Curitiba, essa redução foi ainda maior, de 81%, com o número de pessoas afetadas passando de 59.291 para 11.293, embora o número de ocorrências também tenha subido (de 11 para 13).

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Post source : Rodolfo Luis Kowalski

Related posts

Comentar: Chuva provoca recorde de desastres no Paraná

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp 596