terça-feira, 15 de outubro de 2019

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Paraná: Mãe que jogou recém-nascido no lixo confessa crime e diz que situação financeira era precária

Paraná: Mãe que jogou recém-nascido no lixo confessa crime e diz que situação financeira era precária
Crédito da foto Para Corpo da criança foi jogado no lixo. Foto: DM/Banda B
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

A jovem Camila de Souza Maciel, 21 anos, foi presa pela Delegacia de Pinhais acusada de ter matado o próprio filho, logo após o nascimento da criança, em maio desse ano. O recém-nascido foi encontrado dentro de um lixo domiciliar no último dia 3, na rua Antônio José Pereira, no Jardim Amélia. Bastante abalada psicologicamente, ela confessou o crime e alegou que não tinha condições financeiras para arcar com a chegada do terceiro filho. O marido dela, segundo a Polícia Civil, não sabia da gravidez da garota.

O corpo da criança foi encontrado por um coletor de lixo que realizava trabalhos na região. Ele teria visto uma sacola entreaberta e, quando juntou o saco de lixo, viu que se tratava do corpo de uma criança. O delegado, responsável pelo caso, Vitor Dutra de Oliveira disse à Banda B que ela confessou o crime na delegacia.

“Logo após iniciarmos as investigações, muitas informações vieram até a gente sobre a autoria. Eles apontavam a Camila como sendo a mulher que teria jogado a criança no lixo. Após intimação, ela veio depor e confessou. Ela disse que jogou no lixo para ocultar o nascimento. Tudo isso foi comprovado por laudo, que comprova que a criança nasceu com vida. Ela alega que a situação financeira era difícil e já tinha dois filhos. São motivos fúteis para matar um recém-nascido”, descreveu.

A jovem é de uma família pobre de Pinhais, que mora nos fundos de um terreno, em uma casa de duas peças. Ela não tinha passagem pela polícia, não era usuária de drogas e teria escondido a gravidez da mãe e do marido. “Ele foi ouvido na delegacia e  disse pensar que ela teria sofrido um aborto. A mãe também disse desconhecer”, disse o delegado.

Entretanto, não há detalhes sobre de que forma a jovem conseguiu esconder a gestação do marido, já que todos moravam na mesma casa. Ela foi presa e encaminhada a Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP).

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Elizangela Jubanski e Djalma Malaquias

Notícias Relacionadas

Comentar: Paraná: Mãe que jogou recém-nascido no lixo confessa crime e diz que situação financeira era precária

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596