domingo, 16 de junho de 2019

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Manifestante leva tiro de bala de borracha no rosto durante protesto na BR-476

Manifestante leva tiro de bala de borracha no rosto durante protesto na BR-476
Crédito da foto Para Foto: Divulgação
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Um manifestante integrante do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra) ficou ferido durante os protestos na manhã desta sexta-feira (14) próximo à Repar (Refinaria Getúlio Vargas), em Araucária, região metropolitana de Curitiba.

 Sandro de Lima, de 44 anos, foi atingido por um tiro de bala de borracha no rosto e está internado no Hospital do Trabalhador, na capital. Ele vai passar por uma tomografia na cabeça para constatar a gravidade do ferimento.

Segundo o MST, os manifestantes foram atacados pela Guarda Municipal de Araucária na rodovia federal BR 426 (do Xisto), durante um trancamento da via para um protesto pela manhã. Eles alegam que estavam se retirando do local quando receberam os tiros.

Participavam do ato também representantes da Frente Brasil Popular, do Sindicato dos Petroleiros, professores e caminhoneiros.

Já a prefeitura da cidade alega que enquanto os guardas tentavam desbloquear o fluxo, os manifestantes jogaram gasolina em pneus que já queimavam na rodovia. Para dispersar o protesto, os guardas municipais teriam atirado apenas munições que fazem barulho, mas, como os manifestantes teriam insistido no bloqueio, atiraram três balas de borracha, que acabaram atingindo Sandro e outras duas pessoas.

Para o MST, a repressão atenta contra a democracia e o direito de greve.

“A Rodovia Federal BR 426, está sob jurisdição da Polícia Rodoviária Federal, no entanto os tiros foram disparados pela Guarda Municipal de Araucária, agravando a situação, uma vez que não compete a uma guarda municipal atuar em área federal”, diz a nota.

A Prefeitura de Araucária também enviou uma nota sobre o ocorrido. Confira na íntegra:

A Guarda Municipal de Araucária foi solicitada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) para dar apoio visando garantir a desobstrução da BR 476 na manhã desta sexta-feira (14). De acordo com a Secretaria Municipal de Segurança Pública (SMSP), os manifestantes bloquearam a via e colocaram fogo em pneus. Com a aproximação da Guarda e da PRF, os manifestantes lançaram mais gasolina para aumentar o fogo e em direção às forças de segurança. Neste momento houve a intervenção com 3 tiros de granilha que, por não causar impacto, serve apenas para dispersar. Com a resistência, houve disparo de 4 tiros de bala de borracha. É preciso esclarecer que os tiros de borracha são sempre direcionados para, no máximo, a altura da cintura; jamais em direção ao rosto. A SMSP esclareceu ainda que os tiros de borracha foram direcionados exclusivamente a um grupo específico que estava na via e fazia uso da gasolina na direção das equipes de segurança. Para ser atingida no rosto pode ter ocorrido de a bala ricochetear ou de a pessoa estar agachada.

Por volta das 9 horas, representantes da Guarda Municipal e da PRF negociaram a liberação da via com os manifestantes. Foi recolhido um caminhão e meio de pneus utilizados no bloqueio. No local, não houve relato de ferido com bala de borracha (as informações surgiram depois pela imprensa). Se a Guarda Municipal tivesse sido informada, teria encaminhado a pessoa para atendimento médico imediatamente. A Secretaria Municipal de Segurança Pública informou que em todos os casos em que há disparo de arma de fogo (letal ou não) o procedimento é abrir sindicância para verificar todos os procedimentos.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Folhapress

Notícias Relacionadas

Comentar: Manifestante leva tiro de bala de borracha no rosto durante protesto na BR-476

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596