sexta-feira, 19 de julho de 2019

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Operação Ferrari prende chefes de organização criminosa no Paraná, diz Polícia Federal

Operação Ferrari prende chefes de organização criminosa no Paraná, diz Polícia Federal
Crédito da foto Para PF
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

A Operação Ferrari, deflagrada na segunda-feira (15) para combater o tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro, prendeu 16 pessoas até o final da tarde. De acordo com a Polícia Federal, oito das prisões aconteceram no Paraná, sendo três apontados como líderes da organização criminosas. Quatro pessoas ainda são consideradas foragidas.

Moto e carros na garagem

Foto: Divulgação PF

Segundo a PF, a quadrilha mantinha casas em condomínios de luxo em Londrina e utilizava carros importados e embarcações de alto padrão. O patrimônio dos envolvidos é estimado em R$ 40 milhões. Todos os presos serão trazidos para a Superintendência da PF em Curitiba.

Chama a atenção, segundo a PF, o estilo de vida com muito luxo dos criminosos. A operação foi denominada de “Ferrari” em alusão ao nome utilizado por uma das empresas da quadrilha para a lavagem de dinheiro.

As cidades alvo da operação são Londrina, Cambé, Arapongas, São Jerônimo da Serra e Porecatu, no Paraná. Em São Paulo – Osasco, Indaiatuba, Hortolândia, Salto, Sumaré, Araçoiaba da Serra e Campinas. Mundo Novo, em Mato Grosso do Sul, Salvador, na Bahia, e Aquidabã, no Sergipe.

Balanço

De todos os mandados judiciais descritos, apenas quatro não foram cumpridos, sendo dois na cidade de Mundo Novo (MS), um na cidade de Salvador (BA) e um na cidade de Indaiatuba (SP).

Foram apreendidos R$ 634 mil em dinheiro; R$ 460 mil em cheques; 42 veículos de luxo e dois reboques; 27 caminhões; duas motos importadas de luxo; 37 celulares; uma arma de fogo; 91 relógios e joias.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Banda B

Notícias Relacionadas

Comentar: Operação Ferrari prende chefes de organização criminosa no Paraná, diz Polícia Federal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596