sábado, 4 de julho de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Procurador Federal de Jacarezinho é um dos homens fortes da lava jato

Procurador Federal de Jacarezinho é um dos homens fortes da lava jato
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Poucos sabem, mas um dos procuradores que mais contribuiu para as investigações da Operação Lava Jato é um morador de Jacarezinho. O titular do Ministério Público Federal da cidade,Procurador da República Diogo Castor Mattos, 30 anos, trabalha na Força Tarefa desde seu início, em 2014. Entre os trabalhos que atuou diretamente está a prisão do então deputado federal André Vargas, e a delação do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa – a primeira feita pela Lava Jato, que descortinou todo o esquema de corrupção na estatal.

Curitibano e filho de um promotor de Justiça, Mattos conta que sempre gostou de investigações. “Li todos os livros do Sherlock Homes quando era criança.” A influência do pai e de um primo, também procurador da República, o levaram para o Direito. “A vontade de transformação social, de mudanças no país, me aproximou do Ministério Público”, diz.

O membro mais jovem da Operação Lava Jato, apesar da idade, é uma pessoa bastante séria, de poucos sorrisos, especialmente quando o assunto é corrupção. Não poupa palavras ácidas ao falar de políticos e seus esquemas. “A corrupção é um verdadeiro modelo de negócios nas relações público-privado no Brasil. Acho que a função histórica da Lava Jato é evidenciar essa realidade, pois nunca havia sido possível, muito por causa do Judiciário, que sempre invalidava provas. Sempre tinha um ministro que era indicado político e que achava uma vírgula errada e anulava todo o processo, ou soltava o réu para responder em liberdade até o 40º recurso”, dispara irônico.

Mattos vive em Jacarezinho desde 2013. A cidade foi sua primeira lotação desde o ingresso no MPF. Fez mestrado na Universidade Estadual Norte do Paraná (Uenp), estudando os crimes que sempre lhe chamaram a atenção: os de colarinho branco. Na região, entrou com ações por construções irregulares na região do Paranapanema, entre outras.

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Fonte do post: Rubia Martoni - Folha de Londrina

Notícias Relacionadas

Comentar: Procurador Federal de Jacarezinho é um dos homens fortes da lava jato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp 596