Monday, 30 de November de 2020

Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90
Cliente 728 x 90

Sem-teto invadem residências em Jacarezinho

Sem-teto invadem residências em Jacarezinho
Photo Credit To Ana Paula Souza
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Cerca de 40 pessoas invadiram uma área abandonada em Jacarezinhoe,mesmo com chuva e o forte frio, permanecem no local.
As residências seriam destinadas a famílias que perderam imóveis durante enchente no município em 2009.As obras foram interrompidas e se encontravam abandonadas e tomadas pelo mato.Localizadas no Bairro Silas Peixoto, na Rua João Tavares (próximo ao trevo saída para Cambará), oito “esqueletos” de casas já foram todos invadidos por sem-teto.
Os moradores informaram que o motivo da invasão seria que todos pagam aluguel ou moram de favor e as construções estão abandonadas. Com isso invadiram,fizeram a limpeza dos terrenos e com a movimentação de pessoas, outras famílias do bairro foram ao local e começaram a demarcar uma área atrás dessas casas.São 103 lotes medindo nove por 25 metros os quais já foram divididos pelos invasores. 
Para o a imprensa, disseram não haver nenhum líder entre eles, que demarcaram os terrenos aleatoriamente denominando a área de Conjunto Bela Vista.
Estão há pouco mais de uma semana no local, aumentando o número todos os dia. Alguns dormem e levaram barracas, sofás,lonas, fogões etc e outros permanecem durante o dia, pernoitam nas casas de parentes e retornam no dia seguinte de manhã para assegurar o “lar”.
Em 2009,as fortes chuvas provocaram estragos no Paraná e,em Jacarezinho,o temporal causou inclusive a morte de Margarida Aparecida Silva, de 39 anos, que acabou sendo levada pela enxurrada e se afogou.Pontes, imóveis e ruas foram destruídas.
Ainda na gestão da ex-prefeita Tina Toneti(PT),as 30 casas do programa Minha Casa Minha Vida, Projeto Enchente, foram anunciadas.O atual prefeito, Sérgio Faria(DEM)estimou, em agosto de 2014, que deveriam ficar prontas até julho de 2015. Essa foi a previsão feita durante uma reunião entre as famílias beneficiárias, o prefeito Sérgio Eduardo de Faria,e  os secretários municipais de Assistência Social, Sidnei Ferreira, e Planejamento, Vicente Estanislau Ribeiro,o “Vicentinho”.
No encontro no gabinete, as famílias beneficiárias tiveram a situação do projeto esclarecidas. Durante a reunião, o prefeito explicou o processo que ocorre para a construção das casas. Como complemento, Ferreira explicou os motivos pelo quais ocorreram os atrasos.
“O projeto da enchente sofreu entraves sérios, pois a construtora vencedora da licitação não concluiu as obras o que ocasionou diversos problemas burocráticos. Além disso, pelo fato do projeto da enchente ter sido iniciado em 2011, os valores referentes ao pagamento da edificação das obras e outros itens do projeto são antigos, hoje já passou por mudanças com diferenças maiores que os valores anteriores, no qual foi necessário realizar um novo projeto com novos orçamentos, passando pela a aprovação da Caixa Econômica Federal”, explicou o secretário na oportunidade.
Na ocasião, o prefeito informou que até dia 10 de setembro, a aprovação do projeto deveria ser feita pela Caixa Econômica Federal. Novamente o secretário de Assistência Social complementou a informação e disse que a previsão de término das obras e entrega das 30 casas seria julho de 2015.
Diante de questionamentos das famílias sobre algumas unidades que já tinham sido iniciadas e estavam há algum tempo paralisadas por motivos burocráticos na Vila Scyllas, Sidnei Ferreira informou que seriam feitos estudos por profissionais da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano do que já foi edificado e o que poderia ser aproveitado para a continuação das obras. A reunião ainda foi acompanhada pela assistente social dos Projetos Habitacionais, Renata de Lima e Sales.
Algumas residências, de fato, foram concluídas, mas essas que reportagem mostrou não.
Na última quinta-feira, dia 28, o chefe do executivo foi comunicado pela imprensa da gravidade da situação.Na sexta, conforme a assessoria de Imprensa já avisara, recebeu alguns dos invasores e prometeu visitar o local na sábado,o que foi feito na parte da tarde.
Os terrenos são particulares e uma liminar de reintegração de posse já foi requerida.No meio desta semana, Faria deverá tentar resolver o problema.

 

Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125
Post Topo 747 x 125

Post source : Ana Paula Souza npdiario

Related posts

Comentar: Sem-teto invadem residências em Jacarezinho

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp 596